domingo, novembro 19, 2017

Spielberg, direto do coração - documentário HBO


Assisti em casa, por indicação do Marcos Paranex. Assisti com Airton. Spielberg é sentimental, as vezes prega, mas é engenhoso, tem um domínio absoluto da arte do cinema de prender, encantar, emocionar. Muitos filmes ele erra feio a mão, e faz finais bregas de tão melodramáticos, mas nada tira o fato de ele ter no currículo mais acertos do que erro. Criou filmes memoráveis, tanto que não careço citar nenhum deles. Foi o primeiro diretor de cinema a ter "nome" para mim. Ele pontuou minha infância e adolescência com filmes que foram da sessão da tarde, à locadora, ao cinema de rua e de shopping. Rei absoluto do cinema de entretenimento - e de encantamento. Tenho amor absoluto por ele. E assistir esse documentário que é muito pouco criativo, um documentário de depoimentos, de pontuações de alguns de seus caracteres como diretor, além da vida pessoal e toda sua trajetória, me fez desejar revisitar toda sua cinematografia. Ver tudo. Entender mais, me reencantar. Um gênio muito humano. 

Nenhum comentário: