terça-feira, agosto 29, 2017

Paladas de Alexandria, tradução de José Paulo Paes

1.

Acaso estamos mortos e só aparentamos
Estar vivos, nós gregos caídos em desgraça,
Que imaginamos a vida semelhante a um sonho,
Ou estamos vivos e foi a vida que morreu?



2.

Um palco, a vida, e uma comédia; ou aprendes a dançar, deixando
A sisudez de lado, ou lhe aguentarás as dores.



3.

Só isso, a vida: um instante de prazer. Para longe, mágoas.
Se é tão breve a existência dos homens, que venha Baco
Com suas danças, coroas de flores, mulheres.
Hoje quero ser feliz – ninguém sabe nada do amanhã.











[Paladas foi um epigramista do século IV d.C.]

Nenhum comentário: