terça-feira, junho 19, 2018

O tempo do substantivo no TUPI

O tempo nominal em tupi

Em tupi existe o tempo do substantivo. Para tanto, usam-se os adjetivos RAM (futuro, promissor, que vai ser), e PÛER (passado, velho, superado, que já foi), que recebem, na composição, o sufixo -A: RAM-A, PÛER-A. Eles são tratados, também, como se fossem sufixos, apresentando, então, as formas -ÛAM-A (-AM-A) e -ÛER-A (-ER-A).

Ex.-
ybyrá - árvore
ybyrá-ram-a - a futura árvore ou o que será árvore (Diz-se, por exemplo, de uma muda ou de um arbusto.) 

ybyrá-pûer-a - a ex-árvore ou a árvore caída (Diz-se, por exemplo, de um tronco seco caído ou de uma árvore morta.)

A-î-monhang xe r-embi-’u-rama. - Faço minha comida (que ainda não está pronta).
A-î-monhang xe r-embi-’u-pûera. - Fiz minha comida (que já foi deglutida).

Com substantivos oxítonos, RAM(A) e PÛER(A) mantêm as consoantes R- e P-, respectivamente.

Ex.-
xe só-rama - minha futura ida 
xe só-pûera - minha passada ida

Com substantivos paroxítonos, RAM(A) e PÛER(A) assumem formas com ditongo ou vogal iniciais: ÛAM(A), AM(A); ÛER(A), ER(A), respectivamente.

Em regra geral, os substantivos paroxítonos perdem o sufixo -A e juntam -ÛAM(A) ou -ÛER(A).

Ex.-
Anhanga - diabo - Anhang-ûama - futuro diabo e Anhang-ûera - o que foi diabo ou diabo velho
oka - casa 
ok-ûama - futura casa

A labial B cai diante de -ÛAM(A) e -ÛER(A). Antes da semivogal, nos ditongos -ÛA e -ÛE, aparece freqüentemente G (v. a regra fonológica 2, lição 3, § 48)

Ex.-
peasaba - porto peasa-(g)ûama - futuro porto 
peasa-(g)ûera - o que foi porto; porto velho

Nenhum comentário: