sexta-feira, agosto 11, 2017

O mínimo para viver (To the bone), Netflix



Uma jovem (Lily Collins) com anorexia é levada pela família, na uma última tentativa de se recuperar, a um novo médico (Keanu Reeves) com terapia não convencional. Fica internada numa casa com outros jovens anorexos, muitos sem perspectivas de se livrar da doença e ter uma vida feliz e saudável. Interagindo, tendo avanços e recaídas, ela por fim  consegue abraçar a vida.  



Tem gente que achou o filme forte, eu achei uma espécie de Garota interrompida ainda mais cosmetizada que o promeiro. Mas é um filme honesto, que vai tangenciando a questão sem ir muito a fundo. Lily Collins tem um ótimo esforço de motificação do corpo, mas falta densidade dramática a ela e demais jovens da casa.


Nenhum comentário: