sábado, julho 08, 2017

Colossal, de Nacho Vigalondo


Glória (Anne Hathaway) é uma garota alcóolatra que depois de perder o emprego e terminar o seu relacionamento é forçada a deixar sua vida em Nova York e voltar para sua cidade natal. Quando surgem relatos noticiosos de que uma criatura gigante está destruindo Seul, na Coréia, Glória gradualmente percebe que possui uma ligação com esse fenômeno. Na medida em que os acontecimentos na Coréia saem do controle, Glória percebe a razão pela qual sua existência aparentemente insignificante tem um efeito colossal e impactará o destino do mundo

Sempre admirei o curta-metragista Nacho Vigalondo. Ele fez Cronocrimes, um média metragem muito bom. Mas esse filme com Anne Hathaway é uma bobagem tão grande que não dá nem para acreditar como ela topou fazer essa tolice. Uma garota entra num parquinho de direção e de lá controla um monstro gigante que está em Seul e vai destruindo os prédios de Seul. Engraçado que, apesar de o monstro aparecer diariamente, no mesmo horário, todos os dias há gente ocupando a cidade e pronta pra ser esmagada pelo monstro. Uma bobagem colossal. 

Nenhum comentário: