sábado, maio 13, 2017

Jerry Maguire, a virada


 Um empresário de atletas que comete o erro de dizer o que pensa se vê abandonado por todos os seus clientes, exceto o jogador de futebol americano Rod Tidwell. A vida pessoal de Maguire também começa a se desintegrar quando ele fica dividido entre amor e dinheiro nesta metáfora sobre a necessidade de dinheiro e poder dos americanos.


Descubro que este filme que vi no cinema é de 98, resolvi assistir com Gabriel. Gosto do filme, embora seja muito americano, muito convencional, muito em torno da questão do sucesso, dos valores (amizade, lealdade) e da família. O que gosto no filme é justamente o fato de que nada disso se encaixa bem, que não há de fato amor na relação de Jerry com a mãe viúva, que sua paixão é pelo filho dela, e que a grande virada é de 360 graus, ou seja, retornar ao ponto de partida, repleto de sucesso e grana, parasitando carreiras e outras famílias. Jerry Maguire é o cara que não pode ficar sozinho, é vazio em si mesmo, obsessivo pelo sucesso (até na última cena do filme). 

Nenhum comentário: