terça-feira, abril 04, 2017

Rules dont apply



1958. O longa acompanha a história de amor entre Marla Mabrey (Lily Collins), uma jovem atriz religiosa, e seu motorista, Frank Forbes (Alden Ehrenreich). Mas o relacionamento é proibido pelo chefe deles, o excêntrico aviador e produtor de cinema Howard Hughes (Warren Beatty).

Começa com certo encanto, na linha atual de nostalgia a época de ouro do cinema de Hollywood. Uma compositora aspirante à atriz desembarca com a mãe na terra do cinema, contratada por Howard Hughes, diretor excêntrico - mais que isso: neurótico, sociopata e narcisista - que a mantém atrelada a um contrato sem que ela nem atue nem componha. E o filme se arrasta em longas horas vazias, com personagens que vão ficando a cada minuto mais chatos e inverossímeis. No desfecho a menina, do nada transa com o diretor cachaçada, engravida, retorna anos depois e termina com o mocinho sonso. Um filme tão ou mais insuportável do que Jackie, ainda na tendência nostalgica de filme homenagem a Hollywood clássica (como La la land e Café Society, de Woody Allen), mas sem brilho. Aliás, a melhor coisa do filme é a fotografia e a reconstituição de época, que é de uma beleza incrível. 

Nenhum comentário: