sábado, fevereiro 18, 2017

Capitão Fantástico


Homem cria filhos isolados no meio do mato com esposa. Sofrendo de depressão, ela termina se suicidando, o que o leva de volta à cidade grande e ao contato com parentes para o seu velório. Embora budista - com o desejo de ser cremada, seus pais ricos, protestantes e conservadores insistem num enterro convencional. O capitão fantástico entra em conflito com a hipocrisia familiar, porém conflitos internos com filhos (desejosos de outra vida), agudizam uma crise que mudará o destino da família. Dirigindo um ônibus com seus seis filhos, Capitão Fantástico mostra o choque entre o universo cultural da família anticapitalista, politizada, altamente intelectual, atlética e focada na liberdade e potencial do sujeito, diante de uma uma sociedade americana capitalista, sedentária e boçal. Cheio de conflitos éticos, Capitão Fantástico se torna um filme emocional e de resistência contra uma vida padronizada. Belíssimo. 

Nenhum comentário: