segunda-feira, dezembro 19, 2016

Peer Gynt, de Gabriel Vilela






Peer Gynt, de Gabriel Vilela. Teatro Popular do Sesi, Paulista. 2016.

Fui com Ana Maria e Gabriel. A peça é incompreensível, com texto e peripécias tão confusas que só a leitura do programa, pós peça, deu algum sentido ao que foi visto. Contudo. O figurino é deslumbrante, assim como os cenários e as performances dos atores. Peer Gynt é um deslumbramento que  não comunica, que não envolve ou emociona, mas o trabalho dos atores e sua entrega, seu preparo vocal encadeado de músicas rocks - dos Beatles a Freddie Mercury - e umas MPBs deslocadas no conjunto possibilitam que sobrevivamos ao espetáculo que de infanto-juvenil não tem absolutamente nada.

Nenhum comentário: