quinta-feira, outubro 27, 2016

Black Mirror


Série britânica de ficção científica extremamente elaborada, e por isso, com pouquíssimos episódios e apenas três temporadas. Na linha, além da imaginação, tem por diferencial tratar sempre de um futuro próximo (pensado para daqui a cinco ou dez anos), sempre paranóico, pessimista, mostrando o efeito da tecnologia da informação (a internet, a mídia, os aparatos móveis, a cultura dos realitys shows e das celebridades instantâneas) e do terrorismo nas sociedades atuais. O diagnóstico é que a tecnologia só faz recrudescer os instintos mais primitivos do homem, a tirania (com o hiper controle), a exclusão e o medo, fazendo tudo explodir em violência e brutalidade. Há algo mais que niilismo nas narrativas, o grotesco surge do entrecruzar do homem subjulgado e absorvido/mesmerizado pela tecnologia/máquinas/ciência. Cada episódio é um soco no estômago, e a terceira temporada, completa, uma obra-prima.

Nenhum comentário: