quarta-feira, setembro 07, 2016

Aquarius, de Kleber Mendonça Filho


Assisti no Belas Artes, com Cecile. Este filme que traz de volta o rosto de Sônia Braga. Há tanto para se dizer deste filme e pouco tempo para fazê-lo.


Espanta tudo que parece tão simples, tão pouco espetacular, e vai nos angustiando numa tensão insuportável, em que Clara/Braga transita com uma ética extraordinária, uma força e uma resistência ante um mundo de tensões e agressividade velada. Kleber consegue transportar o clima que vivemos atualmente para o filme, em que os perversos invadem e expulsam em nome do dinheiro e do poder o espaço dos bons, dos não domesticados. É um filme que me atinge tão profundamente que simplesmente não consigo falar suficientemente sobre ele. 


E é lindo ver a felicidade verdadeira no rosto de Sônia Braga.

Nenhum comentário: