quinta-feira, agosto 18, 2016

The Get Down, da Netflix



 Concebido por Baz Luhrmann  e Stephen Adly Guirgis, The Get Down é uma série lançada pelo Netflix que amarra num estilo muito pop, drama e música para mostrar como surgiu no Sul do Bronx, em fins dos anos 70s o movimento hiphop. Embora foque os desejos e aspirações de diversos adolescentes negros e latinos numa região violenta e de poucas possibilidades, The get down esmiúça a cena artística, as relações entre poder, política e marginalidade, além de todo um caldeirão cultural que desembocará no hip hop. Sem ser didático de uma maneira obvia, toda a complexidade deste movimento vai ser retratada por meio dos garotos, cada qual esmiuçando um aspecto/tendência do movimento:  poeta Ezekiel/Zeke Figuero, com as letras; Shaolin Fantastic, com as pickups/ seu slamples como dj; Mylene Cruz, com a voz feminina ligada ao gospel/spiritual e com a cena disco; Marcus Dizee Kipling, com o graffith; e outros garotos representando a dança break e o empresariado/profissionalização do rap. Poderia ser uma série realista, mas traz diversas saídas inteligentes na trama e na condução cinematográficas, naquele costumeiro estilo excessivo, frenético e colorido de Baz. Na trama, não falta certas passagens místicas/nonsense mágicas, místicas, proféticas, capitaneadas pelo guru de Shaolin Fantastic, um dj guia.

A primeira temporada apresenta 6 espisódios. Estreiou em agosto, e assisti tudo em dois dias. De antemão, um clássico.
























Nenhum comentário: