sexta-feira, maio 06, 2016

Estratégias de manipulação: a imagem de Dilma










Hoje, ao ver a foto de capa do jornal O Estado de São Paulo, me senti angustiada, envergonhada e revoltada por causa desse odiojornalismo. O Brasil registra 13assassinatos de mulheres, por dia: uma a cada duas horas. 
São mais de 4.700 assassinatos por ano (http://bit.ly/1SYxo5e). Neste Brasil, fotos como essas, feitas por homens, são publicadas em capas de jornais e revistas. Elas são aclamadas pelo público. Ganham prêmios. Excitam as massas. Todos os dias, tvs, jornais, revistas, sites brutalizam e martirizam Dilma. Buscam com isso difundir, de forma massiva, o ódio contra ela. E conseguem, em parte da população. Todos os dias eles exploram e difundem a própria violência. Não há ética nesses meios. Jornalistas, editores, fotógrafos, donos de jornais, revistas, tvs, sites são todos responsáveis por essa violência. São os criadores do odiojornalismo e reprodutores da misoginia (ódio às mulheres). Para mim, as legendas dessas fotos são:
1) O Estado de São Paulo e o Valor Econômico cortaram e queimaram a cabeça de Dilma. Foto: Dida Sampaio
2) A Folha Press tem uma arma pronta para atirar em Dilma. Foto: Pedro Ladeira 
3) O Estado de S. Paulo assassinou Dilma com uma espada. Foto: Wilton de Sousa Júnior
4) A Folha de S. Paulo tem uma faca no pescoço de Dilma: Foto Sérgio Lima
5) A Revista Época assassinou Dilma. Foto: (ainda não descobri)
6) A revista IstoÉ transformou Dilma em um monstro. Foto: (ainda não descobri)

Análise de Gioconda Bretas
(Retirado do Facebook)


Nenhum comentário: