segunda-feira, dezembro 28, 2015

Inventário 2015

2015. As incertezas sentimentais diluídas em ressentimento. A necessidade de mudanças urgentes adiadas. As viagens não sucedidas. A paz do amor tranquilo. As brigas políticas. O entendimento da degeneração da memória da mãe, botando sua pá de tristeza e tornando tudo sem sentido. Muitos livros, pouco livros lidos, filmes assistidos, séries: o excesso de tudo. A gradual cegueira do olho direito. A decisão, em fim, de óculos. As aulas felizes, mas arrastadas, o pouco comprometimento nas questões de trabalho. As fortuitas alegrias do sexo. As relações amenas com amantes. A velocidade dos dias. O peso do país mobilizando os pensamentos. As insatisfatórias idas e vindas para longe. O mar do Rio. O afastamento dos amigos. A inquietação constante. 7 kg a menos. Academia, academias. A chegada do cão para me fazer mais responsável pelos sentimentos que não são meus. O grande vazio existencial. Fotos. Photoshop. Exercícios de memória. Moldes e estátuas. Essa coisa de atrair, de repente, as melhores pessoas, e seu amor. Compulsão noturna. E essa tristeza crescente, e a desesperança do escoamento disto em 2016. 


Nenhum comentário: