quarta-feira, setembro 16, 2015

Mademoiselle Chambon, de Stéphane Brizé (2009)


O pedreiro Jean é casado com Anne-Marie e ambos levam uma vida tranquila com o filho Jeremy. Jean é um sujeito forte, bom pai, bom marido, filho dedicado também no cuidado de seu pai idoso. Ao levar seu filho à escola, conhece a senhorita Chambon, a nova professora do filho. Ela o convida para dar uma palestra para os alunos sobre sua profissão; na sequência, pede-lhe que renove uma janela do seu apartamento. Nesta ocasião, ela toca violino a pedido de Jean, e o mundo de ambos desaba. O filme se converte numa história de amor impossível, não pela diferença de nível, mas por questões éticas um tanto incontornáveis. Delicado, apaixonante, melancólico, triste, triste, triste. Um filme magnífico. 

Nenhum comentário: