domingo, fevereiro 22, 2015

Com Charlotte e Cecile aqui em casa e na Liberdade


Hoje Cecile esteve aqui para encerrar o TCC. Lemos linha a linha, depois ouvimos a leitura de Charlotte, que veio pousar aqui em casa, chegando a pouco de Israel. E leu no francês as versões em voz alta e aprovou, para alegria da francesa que de ex-aluna, orientanda, já é há muito, a mais dileta amiga. Sou suspeito para dizer como ficou lindo em o Marcelino no francês, pela paixão e empenho que ela lhe dedica.


 Fim da noite, exausto, voltou a água, e fomos jantar na Liberdade. Passamos aquele trecho sombrio da Sé até a praça em frente ao metrô, onde balões anunciavam o ano novo (Cabra?) chinês. Comemos naquele restaurante modesto de porções grandes, resistindo bravamente ao assassinato de uma moça que dava berros cada vez mais altos e histéricos na mesa próxima.








Elas compreenderam o sentido da palavra "periguete", e me contaram muito das impressões que tem do Brasil. No fim, fomos ao ensaio fotográfico na noite que estava linda. Charlotte um pouco gripada. Cecile um tanto exausta. Mas felizes pela conclusão dos trabalhos e pelo encontro.


Que venham outros.


Nenhum comentário: