domingo, fevereiro 15, 2015

À procura de Eric, Ken Loach


Pendente há anos, finalmente me sentei e vi À procura de Eric, de Kean Loach. Adoro filmes ingleses que tratam do operariado, mas Kean Loach sempre surpreende com sua aparente simplicidade de composição cinematográfica. Mas o que mais gostei deste filme, é como ele está completamente calcado no mundo masculino, nas aspirações e desejos do homem, sua noção de ética, fracasso, amor, companheirismo. Algo raro, pois não faltam filmes de ação e violência, mas raramente há filmes sobre homens reais. O tema aparentemente fantasioso (as aparições do ex-jogador Eric Cantona, para o fracassado carteiro Eric, a partir do momento em que fuma maconha ou se embriaga) possibilita que se exteriorize os desejos e angústias do sujeito triste e ensimesmado que o carteiro é. Há três mulheres em todo o filme, e estão ali por serem fundamentais - a ex esposa, a filha e a neta - o restante são os filhos/enteados, os companheiros de profissão, os bandidos inimigos, o jogador ídolo, os homens no campo de futebol. O mundo masculino é de orgulho, dor represada, laconismo ou silêncio auto-imposto. Os gestos de afeto são mínimos, escamoteados num gesto abrupto de mera camaradagem. Há ironia, humor, intimismo e olhar sobre o espaço social da periferia inglesa e, no desfecho, aquela transcendência bonita via relações de amizade e de amor. Para Kean Loach, é o que temos de humano que nos salva. 

Nenhum comentário: