domingo, janeiro 11, 2015

Pride, de Matthew Warchus


Pus de manhã para ver, esse filme baixado no torrent só por que é lançamento, e sem nenhuma informação. Sabia que era um título de temática gay por zapear imagens, mas este pequeno filme inglês me fisgou logo que pus para ver os cinco minutos. Pride é uma comédia dramática sobre um grupo de militantes GLS (Lesbians and Gays Support the Miners) que resolvem apoiar, em 1984, a greve dos mineiros contra as medidas radicais de demissão de Margareth Tatcher. Inicialmente, nenhum sindicato queria o nome associado ao grupo, ainda mais por que no período a AIDS começava a se propagar e fazer suas primeiras vitimas, estigmatizando ainda mais o grupo. Mas corajosamente os militantes põem-se a lutar pela causa e buscar dinheiro para que os grevistas pudessem se manter. Eles entram em contato diretamente com uma associação de mineiros de uma pequena cidade/comunidade hiper conservadora de Walles, Onllwyn. Os ativistas não só conseguem doações, como passam a interagir com a comunidade, mudando neste processo radicalmente a relação "pervertidos" (como eles se auto-intitularão) e a cidade. 


As narrativas paralelas são ricas e agudizam a questão de ser gay numa Inglaterra efervescente, mas ainda intolerante, neste processo desenvolvendo habilidosamente vários aspectos do grupo de ativistas. A levada é aquela de Billy Elliot, com alguns clichês/melodramas, mas o emocional nunca sobrepujando um painel da época e reforçando a ideia de luta por direitos e transformação a partir do convívio com a diferença. Os personagens singulares ganharam atores carismáticos que seduzem graças a atores impecáveis. Um filme já memorável. Escrito por Stephen Beresford e dirigido por Matthew Warchus. Esqueci de dizer o mais surpreendente: baseado num fato real.





Nenhum comentário: