quarta-feira, outubro 29, 2014

Excluindo o facebook de um ex-aluno.

Queridão, até tentei, mas ficou difícil. Abraço para ti, felicidade para sua família e todos os seus. Sempre tive grande orgulho de ser professor, e não quero que isso se perca lendo/recebendo aqui o tipo de coisa que você posta. Fico feliz de que você seja uma exceção dentro do universo grande de alunos que tive. Espero, sinceramente que você se torne um adulto melhor e mais crítico (não digo, intolerante e reacionário, deste sentido), mas crítico como capaz de ler o mundo para além da política. Comece por respeitar as pessoas mais pobres e não fazer tantas postagens racistas, discriminatórias, "levianas" (essa palavra tão gasta) contra um programa, que já te passei todas as informações, se destina a pessoas miseráveis, pessoas que tem uma renda de 170,00. Espero que um dia aprenda a se colocar no lugar do outro, e entenda como a vida pode ser difícil e dura sem carecer do rancor do outro e da demonização gratuita. Respeite mulheres, Respeite crianças. Respeite os pobres. E aprenda a pensar por si mesmo sem arremedar discursos alheios. Você teve seis curtidas neste tipo de postagem. Meu conselho é, procure gente de bem, honesta. Isto fará sua vida melhor e mais rica como ser humano, e vai te afastar da mesquinharia dos que, por que tem um pouco mais, se acham no direito de julgar os demais, inferiores, lixo. Principalmente, por que conselhos são inúteis, trate o próximo como deseja ser tratado. E se esta postagem é , o conselho que você faz a mães de famílias pobres, este é (paradoxalmente) um conselho que te dou, mesmo sabendo inútil. Como gosto de estar do lado do bem, e que o convívio - mesmo no facebook - me traga coisas positivas, e me aproxime de gente de bem, estou te excluindo. Não leve a mal. Eu, com meu tipo de pensamento, não farei qualquer falta no seu facebook. E já ficou chato e triste para mim entender que o diálogo e a informação muitas vezes são inúteis. Foi assim em relação minha a você. Abraço e tenha uma boa existência.

Um comentário:

Anônimo disse...

Infelizmente, o mundo está cheio de pessoas intolerantes. Minha timeline estava um horror, e fiquei chocada com o posicionamento de alguns amigos queridos e de familiares... resta-nos levar um pouco mais de conhecimento e esclarecimento e tolerância e outros modos de ver o mundo, já que fazemos o esforço diário de respeitar o próximo; mas também há estes casos em que o próximo está tão fanático com certas opiniões fáceis (poupam o esforço de pensar e de ser crítico) que também nos fazem poupar esforços e evitar o cansaço... afinal, acho que também somos humanos e devemos nos permitir a lidar com certos limites, antes que isso aflore o nosso pior/que, sem dúvida, é o mesmo contra o quê lutamos.
Um abraço, professor, fico feliz sempre que vejo/ouço/leio pessoas mais sinceras e preocupadas com o que está acontecendo fora tanto quanto dentro de si mesmos,
:)