sábado, setembro 20, 2014

Revidando texto calunioso sobre deputado Jean Wyllys




Eduardo Arau Isso é tão verídico quanto Machado de Assis reclamando da Internet. Esta empreitada ao deputado é um ato claro para instigar rancor à figura e às causas que ele defende, que vão "em tese" contra a Bíblia. Mas aos fiéis cegos, que escolhem exatamente o que seguir - não vejo ninguém apedrejando as mulheres adúlteras nas ruas, ou indo para o hospital "parir com dor" - parecem incomodados com a possibilidade de outras escolhas e outros credos, ou credo nenhum, como dos agnósticos e ateus. Agora, sou contra o "amor cristão" (bem distinto do amor de Cristo) que instiga a violência, o preconceito, e perseguem aqueles que não 'compactuam" com seus dogmas, querendo impor a todos uma religião que - esta sim, é escolha de cada um. O problema não está nunca em Deus, mas nas figuras - muitas vezes nefastas - que "aparentemente" o representam, e querem "falar" em seu nome. A mensagem é bem simples: Amai o próximo como a ti mesmo. O resto é rancor e desprezo, e é estranho que se aprenda isso na religião.







Ah, e me dei ao trabalho de "mudar esse texto" e creditar a autoria a ele. E por que está escrito é fato, não é? Foi ele que afirmou isso. Acho que ninguém é tão ingênuo a ponto de acreditar em tudo que se lê. Eu li há muito tempo na Bíblia um versículo que dizia o seguinte "Não darás falso testemunho contra o teu próximo. Êxodo 20:16. Acho que muitos "CRISTÃOS" não leem a Bíblia, de que modo fariam e repassariam falsos depoimentos para a grande massa, nas redes sociais? Injustiça? não: MÁ FÉ. Quero ver entrevista filmada em que ele afirme isso em público e sem cortes, aí podemos falar em cassação. Sem provas, sem crédito. Como disse: o resto é ÓDIO.






Nenhum comentário: