sábado, junho 21, 2014

I, Anna


Eu, Annna. Drama criminal classudo, viés psicológico. A interpretação sempre fantástica de Charlotte Rampling. Jogos de enganos, de um investigador que se encanta por uma misteriosa mulher, que vai a clubes de solteiro para encontrar amor, e estabelece uma relação estranha com a filha e a neta num apartamento modesto. Os flashbacks dão conta de acontecimentos pregressos mostrando o crime por ela cometido, mas a questão do filme é outra, de viés psicológico. Belamente filmado.

Nenhum comentário: