quarta-feira, março 19, 2014

A donzela nua (conto)

Como naqueles contos de fada, o bosque em que cavalgava era infinito. E por serem mortais, cavalo e cavaleiro, mais que necessário era encontrar um lugar seguro para descansar. Despertou assim, entre árvores dispostas em fila indiana, ao som de uma voz que o guiou, sem dificuldade, até imenso lago de águas azuis. A voz era da moça, que cantava distraidamente, submersa até pescoço.

Oh!”, assustou-se ao vê-lo, em sua armadura.
Não tenha medo”, ele se apressou a dizer, “nenhum mal lhe farei, linda donzela”.
Ela enrubeceu, ligeiramente.
Como pode me chamar de linda, cavaleiro, se de mim mal enxerga o rosto?”
É que sendo ele tão belo, impossível que tivesse um corpo inferior.”
O cavaleiro não teme se enganar?”, disse maliciosa, “E se eu dissesse, que debaixo desta água sou horrível?”
Direi que mente, pois isso me parece impossível”.
Então me julga mentirosa?!
O cavaleiro pensou um minuto, e então disse:
Impossivel que seja: um rosto como seu jamais poderia resguardar uma alma feia.”
"Oh! - ela sorriu, - pelo meu rosto adivinha meu corpo. Adivinha, mesmo, a minha alma. Se é assim, tem que acreditar quando digo que por baixo sou um monstro."
"Não, não posso!"
Ora”, instou-o com um riso atrevido, “é preciso que se decida, ou como explicar que eu minto?”
Direi que não mente. Direi que de tanto se ver, acabou se acostumando com sua beleza. Não acha a orquídea mais bela, aquele que cultiva rosas?”
A moça cerrou os olhos.
Não me fale de rosas, que as rosas têm espinhos”.
Espinhos para se defender”, ele disse enquanto caminhava para beira do lago”.
Espinhos para ferir, para fazer sangrar!”
Mas a dor e o sangue são recompensados pela beleza”.
Porém a beleza acaba, caem as pétalas e da rosa morta só resta a seta!”
Noto”, disse o moço, agora com o metal das luvas metidas na água, “que tem realmente uma alma nobre.”
Não julgue a alma de ninguém pelas palavras! Quem pode saber o que pensa uma pessoa mesmo que a conheça toda vida?”
O cavaleiro a fitou muito sério:
Lábios como os seus jamais vi em dama alguma. Voz que silencia a ave mais atrevida e gestos tão suaves que mantém intacta até mesmo a água!”
Cavaleiro, não me fale desse jeito! Saiba que se eu for mesmo uma donzela, por certo terei um coração que pode facilmente magoar. Compreende que posso muito bem decepcioná-lo quando me vir fora da água.
Bato o pé! Confio na minha certeza!”
A dama afundou a cabeça na água, um, dois, dez, trinta segundos. O cavaleiro já estava sem ar, quando a viu se erguer, os lábios vermelhos entreabrindo-se em úmido sorriso.
Triste, que os cavaleiros só busquem nas donzelas a beleza; e elas, que eles tenham olhos, para ver além dos olhos!
Então, nada de perder tempo. Ponha fim às minhas dúvidas”, pediu num gesto brusco, que saisse do lago.
A moça enrubeceu:
Não posso sair. Nem passou por sua cabeça que estou nua?”
Que importa a sua nudez? Entre nós não deve haver segredos. Acha justo que me conheça inteiro enquanto de você só me vejo o rosto?
Bem, disse a moça, está certo, mas pense: caso eu seja um monstro, não me revelarei assim para que você fuja. Caso seja um monstro, eu o envolverei numa teia de palavras. Não é com uma teia que a aranha pacientemente apanha os seus insetos?”
O cavaleiro a olhou com algum temor.
Faço assim, prosseguiu a bela, - como gostei de você e me será penoso devorá-lo, vou lhe dar a chance de fugir. Chance para que parta rumo à vida para nela encontrar a felicidade.”
Nada disso. Pensa que me engana? É você a felicidade e me coloca assim, à prova. Já fui fisgado tal peixe numa rede, tal folha na corrente, tal tempo no relógio. Assim, tudo o que me disser, se não for o que desejo ouvir, já não escuto. Pronto, estou surdo: creio só no que desejo. Isto se chama paixão.”
Pobre de você, ela disse: os apaixonados são todos cegos!”
Sim, agora compreendo. E sem ter que olhar para você, eu a sinto, e por sentir, já não preciso ver para crer.”
E que loucuras fará se eu rejeitá-lo?”
Todas. Sairei pelo mundo feito um cavaleiro andante empreendendo árdua luta contra moinhos de ventos. Aprenderei a arte da lira e do bandolim para cantar a sua janela cantigas de amor desesperadas.
Cada defeito não será mais defeito. Cada derrota, por vitória. E as sonhos serão todos como que verdades. E vai me querer próxima, mesmo depois que perca todo viço. Oh, eu temo, cavaleiro, que isto seja amor”
Amor!” Ele disse, erguendo-se à margem do lago. “Amor é o que sinto e por ser sincero, o meu amor já não lhe pede provas. Não quero que me prove se é mulher ou fera. Nem me importa que tenha havido outros cavaleiros, melhores ou piores, todos devorados. O meu amor é tão puro que nada exige.”
Se for sincero o seu amor” disse ela, as lágrimas correndo pelo rosto, “então mesmo que seja fera encontrarei forças no seu amor que me transforme. Bastando para isso, para que sejamos inteiros, que me beije.”


Com o risco de falhar...”
Com o risco de não corresponder ao que criou em pensamento. Com risco de ser absurdamente nociva e levar você ao fundo. Com risco...”
E o cavaleiro ergueu a mão e tirou o elmo. E o cavaleiro arrancou a sua luva de ferro. E desprendeu da cintura espada, ignorando todo perigo. Pôs de lado o metal que lacrava o peito. Metal que deixava as pernas firmes. Largou num canto as escamas prateadas. Botou fora a vestimenta. os cabelos desgrenhados, corpo e membros. Frágil feito um menino, ele lentamente entrou na água, cada parte do corpo um tanto impaciente.”
Porque amor, disse: é risco, crença e entrega!”
Seguiu, assim, indefeso para a bela que tão indefesa quanto ele parecia. Receberam-se.
Uma brisa revolveu as folhas das árvores, depois desceu macia sobre os cabelos do casal. O cavalo bateu os cascos na margem. Relinchou, como se risse; ria talvez das duas cabeças quase submersas, dos dois lábios que se aproximavam.
O cavaleiro disse à bela antes de beijarem-se, que se lembrava vagamente de ter se recostado a uma árvore e adormecido.

A bela, quando o envolveu num abraço, disse tão somente que se aquilo era um sonho, precisava, urgentemente, ser sonhado.



Um comentário:

Cinha disse...

Du please!! Eu preciso assistir esse filme, pode me emprestar??Beijos