quarta-feira, fevereiro 19, 2014

Marcelino Freire fala sobre Graciliano Ramos

2 comentários:

Eduardo Machado Santinon disse...

Lembro onde estava quando li o capítulo da morte da Baleia. Tava de caixa temporário numa loja de roupas no shopping ABC, e subi no piso G2 pra esquentar a marmita, depois que almocei sentei pra ler mais um pouco do Vidas Secas antes de dar a hora, e fumar um cigarro. Lembro de eu fechando o livro e os carros passando dentro do estacionamento. Lembro que chorei.

Eduardo Araújo disse...

Foi o primeiro capítulo que li, como conto, num livro. Deslumbrante.