terça-feira, fevereiro 04, 2014

Madrid. Espanha

Em Madri. Espanha. Feliz por estar metido na cultura ibérica/latina. Mas não tem jeito, anos de estudo e leituras em espanhol para me expressar de modo indigno neste pais em que tudo rescende tradicao e nobreza. O euro parece menos devorador, e o preço das coisas mais justas. Seguem as patatas fritas e a carne de porco, mas acrescente-se maior variedade com frutos do mar e legumes. Aqui pelo menos não se tem que pagar banheiro como é praxe em toda Europa. Fui brindado de cara com o clima de São Paulo: friozinho suportável. Enganação parcial, num só dia neva, garoa, faz sol radiante, para cair chuva a noite. Aqui as temperaturas deixaram de ser negativas, para chegar a 2 e 7. O espanto de ver uma cidade de avenidas amplas, limpíssima, com o metro mais perfeito que já vi na vida. Em cada estação há um cantor/músico afinadíssimo, faz arte ao vivo, bem composto e sorridente; detalhe: sempre senhores e senhoras. Madri é uma cidade de velhos, que se negam a ficar em casa, e zanzam por cafés e bares que há em toda a parte. E o café é expresso, forte, saboroso. E são todos gentis. No bar, assiste-se e comenta-se futebol. Os programas de tv vão da política à fofoca numa algaravia de vozes ásperas e roucas que se sobrepõem. Todos os homens sao barítonos de ópera, até na elegância com que se vestem. Um contraponto com a feiura das mulheres, estranhas mas sempre muy interessantes. Cidade católica até os ossos. Operística, para não dizer Barroca. Um pais que queríamos que o Brasil fosse, com aquele calor dos seres e uma alegria menos histérica. Amam tábuas de frios, pães, presunto (jamón) e vinho. Na Zara, camisetas fantásticas por 15 reais, calças por 40. As lojas de grife do Brasil são o Torra Torra daqui. Não estou imune. Visitei praças, jardins, palácios, museus, mas tive que comprar uma mala gigante, num chinês (sim, eles também tem lojas aqui) para guardar o tanto de roupa que comprei e seguir o rolezim ostentação quando voltar. Encontramos amigos, dormi fora, comi em lugares incríveis. Mas Madrid exige tantos mais dias que não possuo que vou prometendo regresso. Amanhã voo para Portugal, um país com cidades que sempre sonhei conhecer.

Um comentário:

Anônimo disse...

Sensacional... e por aqui continuo acompanhando sua jornada. Seus textos são sempre incríveis e riquíssimos.
Aguardo seu retorno para falarmos mais.