terça-feira, janeiro 07, 2014

O tempo e o vento, de Jayme Monjardim


Prometi a mim mesmo que este não seria um blog rancoroso. Mas o Jayme Monjardim não deixa. Primeiro ele suprime as aquarelas da primeira versão com música de Tom Jobim e infantiliza com um anime ridículo. Depois, transforma "O tempo e o vento" no maior catálogo de clichês pseudo românticos-épico-mela-cueca da história do cinema e da telesséries mundiais. O trailer mais longo (pois nunca vi nada tão picotado) já produzido, um clipão tosco com uma musica orquestral incessante querendo conferir alguma dignidade aquela obra-prima do Érico Veríssimo que ele converteu num melodrama horroroso. Sem dizer o desperdício do elenco e de nossa paciência. 

Nenhum comentário: