quinta-feira, janeiro 30, 2014

A saudade na canção

[Um texto iluminado de Bruno Andrade]

Sem medo de errar, a saudade é mesmo uma das matérias primas sentimentais do samba. Talvez a essencial. É possível fazer todo um inventário de sua aparição e de seus objetos. Saudade da terra: Dorival Caymmi (Saudade da Bahia), Lupcinio Rodriguez (Jardim da Saudade)... Saudade das Mulheres: Cartola (Peito Vazio) - a coisa mais linda desse mundo. A saudade como doença: Wilson Batista (a magistral "diagnóstico" onde ele lança mão dessa pérola: o micróbio da saudade é renitente). A saudade como remédio; Lupcinio Rodrigues (Nunca). A antecipação sobre uma saudade futura: Nelson Cavaquinho( Quando eu me chamar saudade- Nelson faz uma verdadeira torção na temporalidade, Futuro-passado?) A luta para por fim à saudade, Obra genial que eu considero coletiva: Chega de Saudade ( Tom Jobim, Vinicius de Moraes e João Gilberto) e para finalizar: A meta-saudade: Caetano Veloso (saudosismo- um "samba" sobre saudade que cita vários outros sambas sobre saudade)... Sou especialista em saudade, afinal, convivo com a saudade de meu amor a tempos..

Nenhum comentário: