terça-feira, dezembro 10, 2013


Lo que dicen cuando callan, de Alejandra Laurencich. 

Lendo com uma atenção sobrenatural, daquele modo meu, aos saltos, como o gênero conto permite. Aquela paixão de quem conhece um novo autor, uma dicção especial, fato cada vez mais raro. Algo experimentado quando li pela primeira vez Clarice, Guimarães Rosa, Rubem Fonseca, Cortazar, Gabriel Garcia Márquez, Lugones, Saramago, Borges, Marcelino, Nuno Ramos. Algo cada vez mais raro. Uma "linguagem" que se imprime como forma de pensamento. Contagiante. A certeza de que "Bajo un cielo de inverno" e "tango para dos" são obras primas. E o impacto de  "Um país que no es el tuyo" com sua aproximação singular entre o conto intimista e entendimento da realidade social. Lê-la fez com que desejasse incorporar no site/blog novo que estou engendrando na UFRJ um espaço para o conto latino-americano. 

Ganhei esta obra de Alejandra Laurencich (que reuni seus livros de contos anteriores e outros novos) no encontro que tivemos na Balada Literaria deste ano. Ela edita essa revista sensacional (BALANDRA http://la-balandra.com.ar/ ). Todos sabem o amor que eu tenho pela Argentina, urgente que saibamos mais, que estreitemos laços, pois inexplicavelmente vivemos perto e distantes. Conheçamos por mais essa escrita mais que especial.

Palma vecchio XX - Portrait of a young bride as flora - 1520

Nenhum comentário: