segunda-feira, agosto 12, 2013

Thomas was alone, um jogo

Estou completamente apaixonado por esse jogo de plataforma. Mas considerar Thomas was alone apenas um jogo é uma redução. Thomas... é uma narrativa eletrônica dinâmica, um book que se constrói e a avança a partir da superação de "fases/etapas". Começa seu estranhamento, por ser basicamente geométrico, com personagens com complexidade psicológica representados por retângulos coloridos com diferentes habilidades/personalidades. O jogo trata da angústia existencial do retângulo Thomas, cuja únicas habilidades são pular e saber cair com segurança somadas a um horror à solidão que o lança numa aventura a busca de amigos, cada qual um retângulo de tamanho e cor distinta e com habilidades e defeitos. Ao avançar da história, compartilham experiências emocionais (a partir da ação), toda narrativa construindo-se por meio de um narrador que narra/interpreta/comenta a ações e a interioridade dos personagens de uma forma lindamente simples e literária. A trilha é fantástica. O resultado é uma narrativa profunda e transcendente. Estou tão apaixonado que pretendo escrever um ensaio sobre este jogo sui generis.




Para saber mais: AQUI.

Nenhum comentário: