quarta-feira, agosto 28, 2013

LIVROS NOVOS DA COSACNAIFY

Ontem o Luquinhas dormiu aqui, recebemos a visita do Airton, que trouxe seu conto e levou a câmera fotográfica e o tripé para uns trabalhos. Descobri que a Cosacnaify tava com uma super promoção em vários livros - 60% - tentei comprar pela internet, mas não teve jeito. Acabei ligando para Martins Fontes da Paulista, e fomos eu e Luks para lá. O resultado são os livros incríveis que agora vos apresento:

Alegorias do subdesenvolvimento, Cinema Novo Tropicalismo e Cinema Marginal
Ismail Xavier

Drama em cena
Raymond Williams

A utopia no cinema brasileiro
Lúcia Nagib

A palavra náufraga - ensaios sobre cinema
Antonio Gonçalves Filho

O assassinato e outras histórias
Anton Tchekhov

Senhor Lambert
Sempé

O inédito de Kafka
Mayrant Gallo

Moby Dick
Melville

A viagem vertical
Enrique Vila-Matas

Crítica de ouvido
Sebastião Uchoa Leite

Dias felizes
Samuel Beckett

Fim de partida
Samuel Beckett

O fazedor de velhos
Rodrigo Lacerda

Refrão da fome
Le Clézio

O outono da Idade Média
Johan Hizinga 

Clube do suicídio e outras histórias
Stevenson

Seis propostas para o próximo milênio
Ítalo Calvino

Da janela aqui de casa


Click do look do Luks.


AQUI.

Graffiti dança, curta



E aqui, agora, o curta feito por amigos queridos, o sofisticado e poético Graffiti Dança.

A arte da queda



[Animação incrível sobre arte e perversidade.]

Para ouvir Di Melo

Di Melo, o imorrível



Lucas insistiu para eu assistir a este documentário excelente sobre o cantor/compositor Di Melo. Ele está ouvindo o cara sem parar, apaixonado. E eu me lembrei de quem me apresentou-o, Gorumba. Eu praticamente ignorei, ouvi uma música e deixei para depois. Passaram-se anos, e o depois é hoje, e a surpresa desta música sui generis, mas brilhante, inventiva, no nível do Chico Science. Do ostracismo à revelação de uma black música nordestina sensacional.

terça-feira, agosto 27, 2013

Sesc Carmo - mediação no Clube de Leitura

Em 27/08/2013, as 19h fui mediador no Clube de leitura, Sesc Carmo para o livro O jogo da amarelinha, de Júlio Cortázar. Foi um encontro maravilhoso, estiveram presentes além dos participantes do círculo, também minha querida amiga Susana Ventura (coordenadora), Lucas, Jorge e Cecília. Foi um encontro ótimo, com boas trocas e ótima recepção de todos os agentes culturais e profissionais do Sesc-Carmo.

Charlles Campos, um blog sensacional


Sensacional este blog sobre literatura e leitura, tanto que sinto um acachapante complexo de inferioridade diante de minhas bloguisses banais. Fica a indicação. AQUI.

segunda-feira, agosto 26, 2013

Sambinha francês com Chico Buarque



Sambinha francês, de Didier Sustrac, cantado com Chico Buarque. Tres chiq. 
Ça Sert à Quoi? (Para que serve tudo isso?)

Lindo demais

sexta-feira, agosto 23, 2013

As 36 situações dramáticas de Polti

Roberto Mallet

Georges Polti publicou em 1916 o livro Les XXXVI situations dramatiques, no qual, a partir das observações de Gozzi e de Goethe e da leitura de uma grande quantidade de textos dramáticos, ele estabelece as trinta e seis situações listadas abaixo. Polti lista diversas variações de cada situação e cita muitos exemplos delas (Há um estudo de Leonardo de Moraes que contém a maioria dessas variações - você pode baixá-lo aqui. A tradução inglesa do livro de Polti você encontra aqui.).

 1. SÚPLICA - um Perseguidor, um Suplicante, um Poder indeciso

2. RESGATE OU LIBERTAÇÃO - Um Desafortunado, uma Ameaça, um Libertador

3. CRIME SEGUIDO DE VINGANÇA - um Vingador, um Criminoso

4. VINGANÇA DE PARENTE CONTRA PARENTE - um Parente vingador, um Parente culpado, (uma vítima), a recordação da vítima, uma relação familiar entre os dois

5. PERSEGUIÇÃO - um Castigo e um Fugitivo (fugir de um castigo)

6. DESASTRE - um Poder subjugado, um Inimigo vitorioso ou um Mensageiro

7. SER VÍTIMA DE CRUELDADE OU DE INFORTÚNIO - um Desafortunado, um Executor ou um Infortúnio

8. REVOLTA - um Tirano, um Conspirador

9. EMPREENDIMENTO AUDACIOSO - um Líder audacioso, um Objetivo, um Adversário

10. SEQÜESTRO - um Sequestrador, um Sequestrado, um Guardião

11. O ENIGMA - um Interrogante, um Investigador, um Problema (a resolver)

12. OBTENÇÃO - um Solicitante e um Adversário que recusa, ou

um Árbitro e as Partes opostas

13. INIMIZADE ENTRE PARENTES - um Parente malévolo e um Parente odiado ou Ódio recíproco entre parentes

14. RIVALIDADE ENTRE PARENTES - um Parente preferido, um Parente rejeitado, o Objeto da rivalidade

15. ADULTÉRIO ASSASSINO - dois Adúlteros, um Marido ou uma Esposa

16. LOUCURA - um Louco, uma Vítima

17. IMPRUDÊNCIA FATAL - um Imprudente, uma Vítima ou um Objeto perdido

18. CRIMES INVOLUNTÁRIOS POR AMOR - um Amante, um Amado, um Anunciador da revelação

19. ASSASSINATO DE UM PARENTE NÃO RECONHECIDO - um Assassino, uma Vítima não reconhecida

20. AUTO-SACRIFÍCIO POR UM IDEAL - um Herói, um Ideal, um "Bem" ou uma Pessoa ou uma Coisa sacrificada

21. AUTO-SACRIFÍCIO POR UM PARENTE - um Herói, um Parente, um "Bem" ou uma Pessoa ou uma Coisa sacrificada

22. SACRIFÍCIO DE TUDO POR UMA PAIXÃO - um Apaixonado, o Objeto da paixão fatal, a Pessoa ou Coisa sacrificada

23. NECESSIDADE DE SACRIFICAR SERES AMADOS - um Herói, uma Vítima amada, a Necessidade do sacrifício

24. RIVALIDADE ENTRE UM SUPERIOR E UM INFERIOR - um Rival superior, um Rival inferior, o Objeto da rivalidade

25. ADULTÉRIO - um Cônjuge traído, dois Adúlteros

26. CRIMES DE AMOR - um Amante, a Pessoa amada, (o Crime de amor)

27. DESCOBERTA DA DESONRA DE UM SER AMADO - um Descobridor, o Culpado

28. OBSTÁCULOS AO AMOR - dois Amantes, um Obstáculo

29. UM INIMIGO AMADO - um Inimigo amado, Aquele que ama, Aquele que odeia

30. AMBIÇÃO - Um Ambicioso, a Coisa cobiçada, um Adversário

31. CONFLITO COM UM DEUS - um Mortal, um Imortal

32. CIÚME EQUIVOCADO - um Ciumento, o Objeto de que ele tem ciúmes, o Suposto cúmplice, a Causa ou o Autor do engano

33. JULGAMENTO ERRADO - um Erro, a Vítima do erro, a Causa ou o Autor do erro, o Verdadeiro culpado

34. REMORSO - um Culpado, a Vítima ou a Culpa, o Interrogador

35. RESGATE DE UMA PESSOA PERDIDA - o Resgatador, um Reencontrado

36. PERDA DE PESSOAS AMADAS - um Familiar desgraçado, um Familiar que observa impotente, um Executor da desgraça


In Polti, Georges. "The Thirty-Six Dramatic Situations", Writer's Digest, Cincinati, Ohio, 1931.

quarta-feira, agosto 21, 2013

Humor, religião e intolerância



O PORTA DOS FUNDOS faturou e pelo jeito vai faturar ainda mais com a visualização deste vídeo. Há uma dose de inegável oportunismo no vídeo para além do desejo de fazer ir. Não são tão ingênuos a ponto de ignorarem que ofenderiam católicos/cristãos/crentes etc, tanto pessoas insanas quanto outras boas e dignas de respeito por sua "fé". O caso é que a maior motivação para postagem foi realmente FATURAR. O vídeo não me ofendeu, mas me impressionou a agressividade dos ateus nos comentários da postagem, como se a fé alheia fosse uma afronta. E o que me surpreende é o alto grau de intolerância de todos. 

Eu e Luks no Martinelli



Suco de Lichia


Compro na Liberdade, naquele mercado incrível.

O som ao redor, ótima crítica de Filmes do Chico


Excelente crítica sobre o filme O SOM AO REDOR, naquele site/blog/face ótimo, chamado FILMES DO CHICO.

http://filmesdochico.uol.com.br/o-som-ao-redor/

domingo, agosto 18, 2013

http://causasperdidas.literatortura.com/2013/08/15/amor-em-outra-epoca-fotos-antigas-de-casais-homossexuais/#.UhFdzJLUmzw

The conjuring



Filme de terror bacana, mas não vai muito longe.

Revisto: Disque M para Matar


De novo sobre a construção da cena para um espectador específico.

O impossível acontece

Ele apostou que era capaz de morder o olho direito. O outro duvidou. Ele tirou o olho direito (de vidro) e mordeu-o. O outro fez: Oh! E aí apostou que também era capaz de morder o olho esquerdo. O outro duvidou definitivamente e dobrou a aposta. Ele aí arrancou a dentadura e mordeu o olho esquerdo. 

MORAL: PRECISAMOS SABER TIRAR PARTIDO DOS NOSSOS DEFEITOS. 


Millôr Fernandes


[Um conto absolutamente genial]

Sorrah

quarta-feira, agosto 14, 2013

Fotos antigas coloridas

Um dos sites mais bacanas que eu já vi. O poder da cor de dar vida aos mortos.


Darwin, divino.


A inacreditável beleza de Wall Whitman




Icônicos, James Dean e Audrey Hepburn.


O casal mais lindo do mundo.

Mais fotos coloridas por esse mago Zuzhin, clique: AQUI.

Elysium e o Brasil

http://www.youtube.com/watch?v=hThZkWfWiWk

Agora entendi por que dois brasileiros no elenco: sociedade em que ricos vivem em condomínios fechados, tem assistência médica qualificada e segurança, enquanto o resto da população vive no caos social, num país injusto e violento, dominado por corrupção e despóticos travestidos de políticos. 6 letras: BRASIL.


ou melhor


Brasil: país do futuro.
Curtir ·  ·  · Promover · há 6 minutos · 

Ai Weiwei Never Sorry

The reader


Alguns filmes ficam na geladeira. Deixo lá, pois tenho pouco tempo de assistir. E então, numa hora, surge esse tempo e assisto algo como The reader, filme de 2008. Um show de interpretação de Kate Winslet, com sua Hanna Schmitz duríssima, que compõe com nudez e entrega incomum para estrelas britânicas/estadunidentes. Um filme sobre nazismo, mas que ilustra aquela banalidade do mal que está nos funcionários burocráticos medíocres  (conforme pensado por Hannah Arendt), perfeitamente materializada na complexa alemã Hanna. Tudo, filtrado pelo olhar de um rapaz - Michael Berg - iniciado sexualmente por ela (e que se mantem fiel e apaixonado), interpretado por um alemãozinho excelente David Kross. Se alonga um pouco mais que o devido, e quase sucumbe a um melodrama que se mostra bem contido e engendrado nas primeira e segunda partes. Não sou fã do Ralph Fiennes, acho-o competente, correto, mas não vai surpreende. Um filme em torno da vergonha que leva a crueldade, ao aprendizado sem superação ontológica/existencial (que não seja aquela, a de aprender a ler). Uma raríssima produção voltada para o público adulto em tempos de simplificações no cinema.

segunda-feira, agosto 12, 2013

Cécile afrancesando o indomável Marcelino Freire

BELINHA

On dit qu'il manque toujours un mot et c'est vrai. Durant toutes ces années, je sais que oui, qu'il manque toujours un mot, c'est vrai. Vraiment. Alors je me suis mis à la recherche de Belinha, après 50 années, 50 années pour lui dire ce mot. Il manque toujours un mot, c'est une vérité vraie. Et moi je suis allé dire à Belinha ce mot.

J'ai enfilé mon costume, mis mon chapeau et je suis sorti. J'ai filé. Comme à l'époque où je suis tombé amoureu d'elle. Moi, je n'avais jamais pensé qu'un amour comme celui-ci aurait pu me perdre, me rendre presque fou. Un grand amour. Un amour pour la vie. Voilà. J'ai enfilé mon costume, mis mon chapeau et j'ai pris le bus jusqu'à Santo Inácio. Une jeune fille s'est assise à côté de moi, et c'était une jolie jeune fille. Ah, et son parfum sentait très bon, j'ai beaucoup parlé avec elle, beaucoup, jusqu'à arriver à la maison où j'allais. La maison que j'ai vu construire. Que j'ai vu construire, brique par brique. Moi je n'ai jamais habité là. Mais c'était là où Belinha habitait, mariée à un autre. Là où elle a eu des enfants et des petits enfants. Là où elle vit seule aujourd'hui et qui ne sait même pas que je vais là, que je vais entrer dans cette maison, que je vais dire ce que j'ai à dire, après 50, 50 années, car il manque toujours un mot. Un seul mot que je porte avec mon costume et mon chapeau. Et une agonie dans le cœur, profonde. Car il manque toujours un mot. C'était maintenant.

[Hoje minha querida aluna Cécile Duret me mandou a versão final do conto "Belinha", de Marcelino Freire. Aqui seguem dois parágrafos.]


CCBB SP


Thomas was alone, um jogo

Estou completamente apaixonado por esse jogo de plataforma. Mas considerar Thomas was alone apenas um jogo é uma redução. Thomas... é uma narrativa eletrônica dinâmica, um book que se constrói e a avança a partir da superação de "fases/etapas". Começa seu estranhamento, por ser basicamente geométrico, com personagens com complexidade psicológica representados por retângulos coloridos com diferentes habilidades/personalidades. O jogo trata da angústia existencial do retângulo Thomas, cuja únicas habilidades são pular e saber cair com segurança somadas a um horror à solidão que o lança numa aventura a busca de amigos, cada qual um retângulo de tamanho e cor distinta e com habilidades e defeitos. Ao avançar da história, compartilham experiências emocionais (a partir da ação), toda narrativa construindo-se por meio de um narrador que narra/interpreta/comenta a ações e a interioridade dos personagens de uma forma lindamente simples e literária. A trilha é fantástica. O resultado é uma narrativa profunda e transcendente. Estou tão apaixonado que pretendo escrever um ensaio sobre este jogo sui generis.




Para saber mais: AQUI.

Complexidade Brasil


Uma foto que fala por si.

Converter html em pdf (online)


http://pdfcrowd.com/

Medida áurea ou Número de ouro








domingo, agosto 11, 2013

A melhor coisa da televisão é o controle-remoto



No Rio


No Rio, Avenida Osvaldo Cruz. Flamengo.

Tesis sobre um homicidio


Bem dirigido, boa trama, mas carece de um bom salto. Final estranho, meio que inconcluso.

Um porto seguro ou Safe Haven


Daquelas bobagens românticas que a gente curte naqueles dias em que o tédio vence tudo e a gente não tem cabeça para nada intelectual.

Uma capa crítica/criativa


Slavoj Zizek, filósofo psicanalista


Encontrei uma entrevista no Roda viva de Slavoj Zizek, filósofo e psicanalista esloveno, sujeito interessante, muito pop atualmente, hoje um dos "ditos" pensadores da contemporaneidade. O incômodo de assistir a um sujeito hiper ativo, convulsivo e cheio de tiques nervosos só colaborou para me afastar da lógica do que estava falando. Aliás, que lógica? A impressão que me passou é a mesma que tive depois de ver um filme em que ele trata do "cinema perverso": bastante confuso conceitualmente, mistura disparatadamente alhos com bugalhos, naquela linha que chamamos no Brasil de "ideias fora do lugar".  

Contudo.


Apesar da capa horrível, este filme-documental traz o sujeito analisando uma série de filmes. As análises que faz de David Linch é iluminadora, assim como alguns toques analíticos sobre Hitchcock, principalmente na questão das quedas. A seleção dos filmes que discute é ótima, vale mais do que a pena ainda que ele se perca em alguns pontos, e soe enviesado demais. 



E vem um novo documentário analítico por aí, a seleção pelo menos é ótima.

Caminhando por São Paulo





Em São Paulo a gente nunca se perde, pois a gente está sempre em algum lugar.

Doméstica, o documentário


Estou interessado neste documentário.