quinta-feira, julho 26, 2012

Relatório 2 de Buenos Aires




Viajo com Janete, amizade antiga, do século passado e só agora ela descobre o quanto sou chato, o quanto reclamo, para no momento seguinte mudar de opinião e adorar tudo. Tenho que pedir perdão a ela, que tem uma paciência de jó-menininho para comigo. 

Hoje zanzamos pela cidade procurando banco ou casa de câmbio, pois os últimos pesos que tínhamos só dava para dois tíquetes do metrô. Horas zanzamos fomos comer, e achamos um restaurante ótimo, mas levamos um tempo enorme para decifrar o menu, e aqui, levam de 30 a 40 minutos para comida chegar a mesa. Quando foi tempo do passeio, o dia quase tinha acabado, fomos para Palermo, ver os bosques. Gente demais ambulando pela cidade. Milhoes de brasileiros, já aviso. Fomos no Jardim Botânico, depois rapidíssimo para o El rosadal (e para decepção de Jan, quase todos podados), voltamos para entrar no zoológico - o mais bonito da América Latina - mas não deu para confirmar. Solução, subir a calle Jorge Luís Borges até a praça Júlio Cortázar, e conhecer Palermo soho e Palermo velho. Lá tinha uma feira incrível, e eu não resisti e comprei com meus pesos (esqueci de avisar que consegui sacar num Santander daqui) três incríveis blusas estraníssimas e lindas. E conversando com o dono do box, ele me conta que o irmão mora em Curitiba. Continuando ali no bairro, que tem lojas sensacionais, e uns barzinhos que fazem daquele lugar o equivalente à Vila Madalena, encontrei uma toca bacana para presentear o Luks. E o senhorzinho nao me conta que morou no Brasil por sete anos (em Botafogo), e muito camarada encaminha a gente para um restaurante muito estranho, em que o próprio cliente se serve, paga e leva tudo para mesa, e que ele prometeu ser barato. 


Fomos eu e Janete na indicação camarada, mas não esperando nada. E não é que o lugar - Bodebón Bellagamba - era sensacional?!!! Inacreditavelmente, super descolado, e que foi enchendo de gente bonita, ao som de música argentina e rock, e sem indícios de turistas brasileiros. hehehe É que sendo eu um turista brasileiro quero que minha viagem seja única, original, inesquecível e não uma experiência coletiva. Claro que em pontos turísticos cliches isso é impossível, mas o que me impede de querer também o improvável?!


3 comentários:

Marcia disse...

Meu querido,estou com pena da Janete heheheh, ela ainda não conhecia o seu lado Mal humorado.
Tenho muitas novidades, para te mostrar.
Vou busca-lo no aeroporto de guarulhos no desembarque no dia 29/07 as 02:00hs.Bjsaudades!!

Edilson Cravo disse...

Eduardo:

Eu morroooo de vontade de conhecer Buenos Aires...um dia ainda vou conhecer...rss

Abraços e aproveite bem a viagem.

Anônimo disse...

Ótima cidade. Linda demais.

Edu/Revide