sexta-feira, agosto 26, 2011

FIM DO POS DOC

Daqui a umas semanas tem fim meu pós doutorado na UFRJ. Foi ótimo. No projeto, o compromisso de entregar três longos ensaios sobre a obra de Marcelino Freire. Entreguei dois, exaustivos, umas 65 páginas. Neles trato duas questões em profundidade: as relações com a tradição de uma literatura realista/naturalista, que hoje é uma resposta ao fim das utopias do mundo contemporâneo, e que flerta com questões como literatura e violência. No segundo, eu trato exclusivamente de aspectos formais, a unidade interna dentro dos diversos livros de Marcelino Freire, seu flerte com o teatro (na elaboração de uma fala-drama: solilóquio, monólogo interior e fluxo de consciência), sua relação com a poesia/musica (o cordel, o repente, o samba e o rap).

Ficou faltando o último, que hoje - milagrosamente - saiu quase inteiro, depois de semanas e semanas de mais absoluto bloqueio. Neste eu tratarei exclusivamente da questão temática marginais e marginalizados em sua obra. E tome Foucault. E sexo. E gênero. E gays. E negritude. Tudo leitura brava, pesadíssima, para uma segunda apresentação (a primeira foi há um mês) que farei a professores-doutores, diretores e reitores de faculdades de diversos campos de conhecimento. 

Oremos.

5 comentários:

marCinha disse...

Voce já é abençoado e agradiado por Deus.Com toda certeza voce vai tirar 10 com louvor.
Te amo meu amado irmão.

MarCinha

Tatiana Lazzarotto disse...

Marcelino é foda. Fiz um curso de narrativa com ele, de graça, como um desses presentes que Deus dá e você agarra com força.

.lucas guedes disse...

boa sorte.

rafaela disse...

você vai arrazar, edu. ah, esqueci que homens não 'arrazam', homens 'mandam muito bem'
:D

Cleyton Cabral disse...

Marcelino é prato cheio. Sucesso, amigo.