segunda-feira, julho 18, 2011

Relatório de princípio de férias

Fui ver o Bruno. Ver o Bruno é sempre legal. Falar de cachorros pitbulls, rusgas familiares, cabelos, uma dieta de baixa caloria que não é para mim. As estações Brás e Belém ganham novo sentido, com erros, idas e vindas. E eu como mal, empadinhas, bebo coca-cola, depois me mato num hercúlio esforço de academia. Chego moído. O Big ladra feliz. E assim é. Depois de muitos dias vejo Pedrovski que me pergunta por onde andava. Cris me liga. Ouço as velhas mesmas músicas agora num amplificador de mp3. Visitei Diene na imobiliária e vi Gabi. Conversamos. Atualizo Lattes. Escrevo relatório. Será que garanto prorrogação? Queria tanto publicar meu Infeno feliz. Esperando no metrô, vindo de trem, ou em pé no ônibus leio apaixonadamente o livro IMAGENS, de Igmar Bergman. Conto que terminei O AMOR É CRIME, do Marcelino Freire e senti falta do autor antigo, ou o contrário disso? Leio também (sim, leio muito, compulsivamente, e não disse aqui o tanto de jornais diariamente, revistas, ensaios etc etc) o livro PORNOFANTASMA, do Santiago Nazarian. A biblioteca do 5o. deslocou-se para entrada do shopping. Namoro uma jaqueta estranha, vermelha, caríssima no shopping. As minhas opiniões andam rancorosas sobre obras literárias. Melhor ler crítica, ler teatro, ler sobre cinema. Bergman me enlouquece, me deixa mais crítico, mais duro, mas sensível no que sinto que seja arte. Assisti também ao documentário sobre fotógramos (Iluminados) e este outro que comprei, de mais de quatro horas de duração, com 54 fotógrafos de cinema. Um parece continuação do outro. Ensaios de reflexão. E se fizesse um documentário estranhíssimo sobre a cidade de MAUÁ? Recebi uma proposta bacana para elaborar roteiro do Kleber Albuquerque, ficções com o tema de amor. Achei a minha Isabela que já aceitou participação. Não é ótimo? E estou à espera. Semana que vem, reunir toda gente numa grande mesa. Ler o roteiro. E delegar funções. Mas antes, fazer bate-volta no Rio, sem ter onde ficar. Tenho duas semanas de férias contadas de hoje e quero fazer tudo, ir ao teatro, ver Djalma, Emersona, Okuma, Celso, amigos. 

E hoje estou estranhamente melancólico, embora mil coisas sucedam dentro e fora de mim.

Nenhum comentário: