quinta-feira, julho 28, 2011

Os 39 degraus, Hitchcock


Assisti a duas versões deste filme, um baseado no livro; e outro, radicalmente alterado, dirigido por Alfred Hitchcock, menos verossímil, mas com cenas mais inventivas.



2 comentários:

Afonso disse...

Hum, essa cena da quarta foto, do casal algemado, em que ela tira as meias de seda c/ as mãos dele roçando as pernas dela enquanto devoram os sanduíches, cara, é de uma sensualidade…. acho um tesão! E marca o início de uma característica deliciosa de Hitch: o erotismo cifrado que ele usou tantas vezes, cheio de conotações fálicas, como o trem entrando abruptamente no túnel no final de "Intriga internacional", lembra? Os 39 degraus é o embrião de muita coisa que Hitch fez. Reza a lenda que ele mesmo (que tinha um lado bem sádico) algemou os atores e fingiu que perdeu a chave durante um dia inteiro de trabalho pra tornar mais realista a irritabilidade dos dois, kkkkk, a cara dele.
Não conheço essa versão nova que vc assistiu. Vi a de 1959, que se passava naquela mesma década, é legalzinha mas o roteiro é muito chupado do filme de 1935. Assisti tbem a de 1978, essa se passa em 1914, é fria, não gostei muito, mas me pareceu bem mais fiel ao livro.
Abs!

Eduardo Araújo disse...

Estou nesta fase entranha, entre Hitch e Bergman, e imagine só dois diretores tão opostos. Não sabia de tantas versões. Neste filme tem outra que não citei que é tecnicamente estraordinária. O carro está em movimento e a câmera acompanha o diálo no carro e ao final sai pela janela (em movimento!!!) e enquadra num só plano a estrada em que o carro segue. Só tinha visto isto no filme do Spielberg (Guerra dos mundos) e com toda a computação gráfica dos nossos tempos.