segunda-feira, julho 18, 2011

O sorriso de Ingmar Bergman

4 comentários:

Stephanie disse...

Simpático?

Cá estou, ajude-me a te encontrar!
Meu e-mail é steh.chan@gmail.com

Mande todos os links que achar necessário pra eu me comunicar com você :D, quero saber do projeto e tudo mais. Beijo!

Eduardo Araújo disse...

Vou mandar o roteiro, abço.

rafaela disse...

oi edu seu lindo, vc é foda beeijooos

marcio_LG disse...

Só para criar um contraponto. O que Bergman faz é arte. Pura. Porque não fala para os sentimentos. Seus filmes não são descritivos, muito ao contrário, são cheios de vazios e silêncio. Bergman, um homem do nosso tempo, faz a justa ligação entre o homem material (em todos os sentidos) e a sua alma eterna (aquilo que vive em nós e que escapa a qualquer conceito racional). Então, minha pergunta prossegue: "aquilo que em nós não pode ser descrito ou explicado, não existe?"