segunda-feira, julho 25, 2011

Bergman, pânico da crítica e o desejo de agradar ao público

Meu filme Luz de inverno, posso afirmar, representa para mim uma vitória moral e uma arrancada. Sempre me senti incomodado com a necessidade que tenho de agradar. Meu amor para com o público tem sido bastante complicado, existindo em mim uma boa dose de receito de não ser capaz de agradar. Na consolação artística que dou a mim próprio, inclui-se a vontade de consolar o público. Embora isso não seja tão perigoso como parece, tenho medo de perder meu poder sobre o público, um medo legítimo de perder meu ganha-pão. (p. 30).



Estou em minha casa de Faro, esperando. Isolado por minha própria vontade, sinto que é bastante bom estar assim. Liv está no festival de Sorrento. Ontem Vergonha teve estréia em Estocolmo e em Sorrento. Aguardo aqui a opinião da crítica. Ao meio-dia vou apanhar o barco para Visby para comprar ao mesmo tempo os jornais matutinos e vespertinos.

É melhor fazer isto sozinho. Assim não preciso ocultar o que me vai por dentro. A verdade é que me sinto atormentado. É uma espécie de dor contínua misturada com receio. Não faço a mínima ideia das reações que o filme vai suscitar. Para mim ainda ninguém se pronunciou sobre ele. Mas minha intuição me deixa muito apreensivo. Creio que a crítica não se vai mostrar entusiástica, talvez até seja negativa. Desta vez vai-me ser difícil acietar não ter conseguido impressionar o espectador. Claro que é sempre bom ter a aceitação da crítica e do público, mas já há muito tempo isso aconteceu. Tenho a impressão de que fui posto de lado, porque a minha volta há silencio e delicadeza. Sinto dificuldade em respirar. Como poderei continuar? (p. 296)


Minha peça começa com o ator que desce à platéia, estrangula um crítico e, de um livrinho preto, lê todas as humilhações que sofreu e de que tomou nota. Depois vomita sobre o público. Em seguida, afasta-se e dá um tiro na cabeça

Em Agenda de trabalho, 19 de julho de 1964



IMAGENS, Ingmar Bergman. Martins Fontes. São Paulo. 1996.

Nenhum comentário: