sábado, maio 31, 2008

Apresentação ao piano de Zé Celso


Mais uma das pans da virada, clique, amplie e veja os detalhes.

CAOS CONFUSO

Ó caos confuso, labirinto horrendo,
Onde não topo luz, nem fio achando;
Lugar de glória, aonde estou penando;
Casa da morte, aonde estou vivendo!

Ó voz sem distinção, Babel tremendo;
Pesada fantasia, sono brando;
Onde o mesmo que toco, estou sonhando;
Onde o próprio que escuto, não o entendo.

Sempre és certeza, nunca desengano;
E a ambas pretensões com igualdade,
No bem te não penetro, nem no dano.

És ciúme martírio da vontade;
Verdadeiro tormento para engano;
E cega presunção para verdade.

Gregório de Matos

[Belíssimo poema soprado no final da aula de literatura por uma aluna. Um daqueles poemas incríveis que não conhecia.]

quarta-feira, maio 28, 2008

Júlio César, de William Shakespeare




ANTÓNIO – Bons amigos, caros amigos, que não seja eu a levar-vos a uma súbita revolta, a uma ira desnecessária. Aqueles que consumaram o crime são homens honrados. Que secretas razões tiveram para o fazer, ai de mim, não sei. O que os levou a isso? São homens sensatos e honrados, todos eles, e decerto apresentarão as suas razões. Não venho, amigos, excitar os vossos ânimos. Eu não sou bom orador, como Brutus. Sou, como todos sabeis, um homem franco e simples, que era amigo do seu amigo, e isto, sabem-no bem aqueles que me deram autorização para falar dele publicamente. Porque não tenho talento, nem eloquência, nem mérito, nem estilo, nem gestos, nem o dom da palavra que inflama o sangue dos ouvintes, e contento-me em falar tal como falo, simplesmente, dizendo-vos apenas o que todos sabeis; mostro-vos as feridas do bondoso César, estas pobres bocas mudas, e são elas a falar por mim! Mas se eu fosse Brutus, e Brutus fosse António, esse António haveria de exasperar os vossos ânimos e, a cada uma das feridas de César, uma voz dar, capaz de comover e amotinar cada uma das pedras de Roma.

segunda-feira, maio 26, 2008

PAI DOENTE

PAI DOENTE.


vida em pausa.

Saramago vê com Meirelles o Blindness



Eu fiquei emocionadíssimo só de ver esse vídeo. Amo Saramago, e torço pelo filme do Fernando Meirelles.

domingo, maio 25, 2008

sexta-feira, maio 23, 2008

FERNANDA YOUNG SOBRE WINEHOUSE

"Quem não tiver uma Amy Winehouse dentro de si que se apresente. Vai se apresentar para uma platéia vazia, obviamente, pois nessas ninguém está interessado. Mulheres que não admitem a sua dor – aquelas que são perfeitamente esquecíveis – não merecem nenhuma poesia, ou rascunho, ou rápida melodia, pois se recusam a abrir mão do conforto de uma farsa em nome de uma verdadeira vocação: a de sofrer belamente.

O Drummond escreveu que “a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional”. Um verso bonito, além de sábio, porém tipicamente masculino. Mulheres não sofrem por opção, sofrem por evolução. Nós sofremos porque percebemos coisas que os homens ainda não são capazes. Talvez, um dia.

Não há, portanto, a mulher que não sofra – há a que não se mostra. Já que o sofrimento é, para nós, uma espécie de vestido lindo, antigo e bem adornado; um Paul Poiret. À nossa disposição, no cabide. Então usaremos essa roupa, não tenham a menor dúvida. E algumas de nós o farão em público, deslumbrantemente. Como é o caso da Amy.

Você olha para ela e vê que aquela é sua maior aptidão: existir sob esse manto raro, por vezes sombrio, que a cobre. Não há nada em Amy Winehouse que não seja genuíno, e isso consegue ser gritante em sua música suave enquanto doce em sua aparência rude.
Atraente e repugnante ao mesmo tempo. Linda e digna de pena. Ora, pode haver imagem mais explícita da crucial inconstância feminina? Óbvio que é disgusting vê-la toda borrada, sem um dente, com sapatilhas a lhe denunciar as picadas que dá nos pés. Mas também é maravilhoso vê-la tão pequena, antiga de tão moderna, na medida que só os autênticos conseguem ser, e se equilibrar. Mesmo que essa idéia, a de equilíbrio, não pareça muito adequada à Amy. Para mim, é.

Amy Winehouse é um acontecimento secular, tipo Billie Holliday, Edith Piaf. A gente não tem como exigir higiene, ou conduta, ou senso de preservação, ou auto-estima, dessas mulheres. Seria pedir demais."

"Como dizer para essa moça o que ela talvez devesse ouvir? “Ei, Amy, deixe esse cara pra lá, ele não vale tanto a pena.” “Ei, Amy, faz o seguinte: toma no máximo cinco cervejas quando for ao pub.” “Ei, Amy, fume seu baseado, mas deixe o resto de lado.” Imagina a cara que ela iria te olhar?

Pela Amy Winehouse, sinto essa contradição, acho, parecida com a de todas as mulheres. Eu me identifico com a delinqüente, e a mulherona que cobre o Blake de porrada, mas me preocupo, como uma mãe com uma filha, a ponto de rezar por ela todas as noites. Uma reza sincera, para que Deus a proteja, igual faço pelas minhas meninas.

Amy, olha só: você é tão jovem... E quando fico emocionada tenho essa mania, cafona e burra, de usar reticências... Mas não!... Para a Amy Winehouse, não cabem emocionalidades baratas. A triste junkie que habita em mim não suportaria parecer uma mãezona dócil que faz promessa.
Então, mais uma dose. Por que que a gente é assim?"

"Por que bad boys são “os fodões” e bad girls são “as fodidas”? Por que os bad boys são símbolo de liberdade e as bad girls são presas para servir de símbolo? Por que bad boys são assim por rebeldia e as bad girls são assim por sem-vergonhice?
Aparentemente, o mau comportamento ficou de fora das conquistas feministas. Então que seja esta nossa nova luta: pela igualdade de direito de errar. Direito de fazer o que não se deve. De chegar em paz ao fundo do poço.

Dean Martin, Frank Sinatra, Sammy Davis Jr. e aquele outro, que eu esqueço o nome, bebiam todas, consumiam tudo, comiam qualquer uma – e eram o charmosíssimo “rat pack”.
Britney Spears, Lindsay Lohan, Paris Hilton e aquela outra, que eu também esqueço o nome, bebem uns champanhes a mais, tomam uns analgésicos, dão umas batidinhas de carro – e são as vadias bêbadas e drogadas de Hollywood.

É, o machismo acabou só para as caretas. Para as doidas continua valendo. Acho, inclusive, que as próprias mulheres têm culpa nesse atraso. Notoriamente mais competitivas entre elas, não competem apenas com a colega do lado, mas com todas as mulheres do mundo.

De Marilyn Monroe a Anna Nicole Smith, todas morreram sem uma amiga do lado. Por quê? Porque mulheres não são companheiras na sarjeta. Homens são. Ou seja, encontramo-nos no ponto em que, juntos, chegamos. Não sei se tem alguém torcendo contra a Amy Winehouse, no momento, mas, se tiver, é mulher.

Eu? Eu torço por ela mais do que pela seleção brasileira."

Por Fernanda Young.

quarta-feira, maio 21, 2008

PROGRAMAS 2008

Para ler pdf. ---> Foxit Reader 2.3
Para queimar imagecd ---> imgburn
subsync --> para legendas
mgi photovista 3.0 ---> para fazer panorâmicas
ulead cool 360 ---> para fazer panorâmicas
acdsee 32 ---> leve para abrir imagens
dvd and cd cover print ---> para capas de dvd
dvd audio extrator ---> para conversão em mp3
skype ---> para bate papo e conferência em audio
firefox ---> browser estável com ótimas extensões add
picasa2 ---> para fotos
paint.net ---> a evoluçao leve do paint
clonedvd 2.901 ---> compactar e recompactar
winavi ---> para converter divx em dvd
clonecd ---> cds perfeitos e rápidos
anydvd 6.03 ---> destravar
moreaflvplayer ---> perfeito para abrir arquivo do youtube
google earth ---> para ver o mundo
dicionário houaiss ---> meu dicionário predileto, com etimologia
fast video download ---> extensão do firefox para baixar video no youtube
Winhttrack website copier 3.42-2 ---> para copiar site ou blog inteiro
Winrar ---> melhor descompactador, levíssimo
Total video converter 3.02 ---> exclente para converter video em vários formatos
k-lite codec pack 2.71 full ---> codecs para video e som
dvd audio ripper ---> para tirar audio de dvd (exclente)
1st sound recorder v2.5 ---> converter em wav

feijó legendas ---> para séries
windows live messenger ----> para contatos
adobe acrobat professional 7.0

terça-feira, maio 13, 2008

HOJE: EU NA RODA


SESC Pinheiros


Dia(s) 13/05, 20/05, 27/05
Terças, às 20h.

A cada encontro a leitura e interpretação de importantes textos da literatura nacional e estrangeira, em que o público é também, convidado a ler. Orientação da professora Susanna Ventura e interpretação do ator Clóvis Torres. Autores abordados: Franz Kafka, Machado de Assis, Jorge Amado. Recomendável a partir de 16 anos. Sala de Oficinas, 2º andar.

Grátis

segunda-feira, maio 12, 2008

FADO

FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO FADO fado fado 2008

quarta-feira, maio 07, 2008

terça-feira, maio 06, 2008

Cantiga de amor

Quer'eu em maneyra de proençal
fazer agora hun cantar d'amor
e querrey muyt'i loar mha senhor,
a que prez nen fremusura non fal,
nen bondade, e mays vos direi en:
tanto a fez Deus comprida de ben
que mays que todas las do mundo val.
Ca mha senhor quiso Deus fazer tal,
quando a fez, que a fez sabedor
de todo ben e de mui gran valor
e con tod[o] est'é mui comunal,
aly hu deve; er deu-lhi bon sen
e des y non lhi fez pouco de ben,
quando non quis que lh'outra foss'igual.
Ca en mha senhor nunca Deus pôs mal,
mays pôs hi prez e beldad' e loor
e falar mui ben e riir melhor
que outra molher; des y é leal
muyt', e por esto non sey oj'eu quen
possa compridamente no seu ben
falar, ca non á, tra-lo seu ben, al.

(D. DINIS, 1995, p. 54)

segunda-feira, maio 05, 2008

quinta-feira, maio 01, 2008

Dexter

Mais um seriado que me pegou completamente. Adoro assistir Dexter.