sexta-feira, dezembro 08, 2017

Reflexão a partir de uma entrevista de Pedro Cardoso para Lázaro Ramos, no Youtube

Nada me impressiona mais do que o comentário dos "ignorantes". Eles devem ser semi-analfabetos (e são orgulhosos disso). O discurso dele é praticamente didático, mas como a maior parte não tem base cultural e não conhece as referências dele, é preciso desqualificá-lo, dizem que ele "faz discurso vazio", que "fumou", que está "viajando", que é "de esquerda" e menos inteligente por que critica o Capitalismo. Fico com pena do baixo nível intelectual dos que julgam um artista o mero recitador de falas (talvez, por que no fundo essa gente tenha tanta dificuldade de pensar, que o que faz é justamente isto: replicar o que ouviu sem associá-lo com a realidade histórica e/ou objetiva). Como a capacidade discursiva/argumentativa é débil, "saem" pela ironia, pelo humor baixo, pois - como se sentem inferiores, - precisam desqualificar o discurso do outro para se sentirem melhores consigo mesmos. Tratam a inteligência como algo menor e se orgulham da própria mediocridade. O Brasil que temos hoje (com a incapacidade de eleger representantes, voto nos falaciosos de discurso fácil e demonização Educação/Universidade, Cultura e seus representantes) é resultado direto desta incapacidade de pensar.

quinta-feira, dezembro 07, 2017

Daniel Augusto escreveu lindamente sobre um professor


Quando estava no cursinho, cheio de dúvidas se deveria ser professor ou não, decisão ingrata nessa realidade que vivemos, tive o prazer de ter aula com o professor Júlio, que ministrava literatura de uma maneira inacreditavelmente didática. Esse professor me fez ter certeza que eu queria começar minha vida adulta em cima do tablado. Bom...Quase isso... lá no fundo eu já sabia que queria dar aula. Mas foi o professor Júlio que me fez "sair do armário", que me fez ter certeza que eu ia fazer isso muitas e muitas vezes, que me fez apaixonar pela profissão.

Nunca o conheci, nunca troquei mais do que um "boa noite" ou na entrada ou na saída do cursinho, nunca fui seu amigo. Mas a força que as aulas dele me deram para encarar o vestibular, e mais que isso, encarar a vida é algo que talvez eu nunca terei capacidade de mensurar. Ele fez tudo isso apenas com suas aulas, com seu jeito de ensinar, com sua mensagem. Aí está a mágica de lecionar, essa conexão que se cria entre professores e alunos, essa ligação que transforma vidas, essa sinergia.

Júlio se foi logo após eu saber que tinha passado no vestibular. Fiz parte da última turma a ter o privilégio de te-lo como professor. Foi um baque para todos que o conheciam, e claro, isso também mexeu comigo. No mesmo ano de sua morte, estava iniciando a faculdade e tiver a oportunidade de pisar no tablado a primeira vez. Ao final da aula repeti o mesmo bordão de despedida que ele sempre falava ao final de suas aulas "Uma semana cheia de estudos, alegrias, felicidades e prazeres carnais".

Desde então repito esse bordão como um mantra que me faz lembrar do porquê eu comecei essa jornada e me faz sentir um pouco mais perto de meu mestre. Me faz também nunca esquecer de onde eu vim e quantas dificuldades foram superadas para chegar onde queria chegar.

Todo mundo tem aquele professor na vida. Você sabe do que estou falando. Na escola, no cursinho ou na faculdade. Pode ser em casa, seu pai ou sua tia. Ser professor não é questão de títulos ou conhecimento, para mim, ser professor é ter a capacidade de inspirar.

Hoje eu quero homenagear o professor Júlio Marcondes. Especialista em ser humano.

[Daniel publicou no Facebook e eu repliquei aqui, sem autorização, por que achei lindo]

Jogos indies - amo



Nautilus - JANELA INDIE - Melhor canal de análise de Jogos/Games


JANELA INDIE - Canal de análise de Games. Genial



DANDARA, game brasileiro

DANDARA, um jogo brasileiro, feminista, sobre uma heroína negra e repleto de elementos dos Orixas e da cultura brasileira. Jogabilidade inovadora. Coisa de genio.


https://www.youtube.com/watch?v=o55q0wqId0c



GAMES INDIES

Para baixar

http://www.thepiratedownload.com/lista-completa/


http://baixargamespelotorrent.blogspot.com.br



João Bosco e nota de repúdio



Nota de repúdio do compositor e cantor João Bosco
"Recebi com indignação a notícia de que a Polícia Federal conduziu coercitivamente o reitor da Universidade Federal de Minas Gerais, Jaime Ramirez, entre outros professores dessa universidade. A ação faz parte da investigação da construção do Memorial da Anistia. Como vem se tornando regra no Brasil, além da coerção desnecessária (ao que consta, não houve pedido prévio, cuja desobediência justificasse a medida), consta ainda que os acusados e seus advogados foram impedidos de ter acesso ao próprio processo, e alguns deles nem sequer sabiam se eram levados como testemunha ou suspeitos. O conjunto dessas medidas fere os princípios elementares do devido processo legal. É uma violência à cidadania.


Isso seria motivo suficiente para minha indignação. Mas a operação da PF me toca de modo mais direto, pois foi batizada de “Esperança equilibrista”, em alusão à canção que Aldir Blanc e eu fizemos em honra a todos os que lutaram contra a ditadura brasileira. Essa canção foi e permanece sendo, na memória coletiva do país, um hino à liberdade e à luta pela retomada do processo democrático. Não autorizo, politicamente, o uso dessa canção por quem trai seu desejo fundamental.


Resta ainda um ponto. Há indícios que me levam a ver nessas medidas violentas um ato de ataque à universidade pública. Isso, num momento em que a Universidade Estadual do Rio de Janeiro, estado onde moro, definha por conta de crimes cometidos por gestores públicos, e o ensino superior gratuito sofre ataques de grandes instituições (alinhadas a uma visão mais plutocrata do que democrática). Fica aqui portanto também a minha defesa veemente da universidade pública, espaço fundamental para a promoção de igualdades na sociedade brasileira. É essa a esperança equilibrista que tem que continuar." 


João e Elis em show realizado em S. Bernardo do Campo, em 1979, para angariar fundos para a grande greve dos metalúrgicos da ocasião.

segunda-feira, dezembro 04, 2017

Símios, uma banda de rock


Puto
Símios
 
Chulan / Macaco / Mendes

O Horário tem que ser cumprido
Alimento tem que ser digerido
Abriu tem que ser fechado
Dente tem que ser escovado

O Fato tem que estar consumado
Pra passar tem que ter estudado
A hora tem que ser marcada
Noite tem que ser virada

Lei! Tem que ser seguida
Ordem tem que ser mantida
O cabelo tem que estar penteado
Seu quarto tem que estar sempre arrumado

Puto! Tô puto!
Puto! Tô puto!

O rock tem que ser tocado
Acorde tem que estar afinado
A vida tem que ser vivida
Entrou tem que ter saída

A jaula tem que estar aberta
A criança tem que ser esperta
A zorra tem que ser armada
A família tem que estar errada

Meu time tem que ser, vencedor!
O atacante tem que ser, matador!
O juís é sempre ladrão
Meu time perdendo não

Puto! Tô puto!
Puto! Tô puto!

Quem sujou tem que limpar
Se tirou põe no lugar
Se errou vai consertar
Ajoelhou tem que rezar

Polícia descendo a borracha (Tô puto!)
Deputado achando graça (Tô puto!)
Porco cobrando taxa (Tô puto!)
A grana ta escassa (Tô puto!)

Mulher fazendo doce (Tô puto!)
Telefone ocupado (Tô puto!)
Esse chope tá aguado (Tô puto!)
E o salário atrasado (Tô puto!)

Puto! Tô puto!
Puto! Tô puto!(x5)

Puto! Tô puto!
Puto!

Eis a questão


Ilustrações infantis, amor


William Shakespeare


A guerra dos planetas dos macacos


A guerra dos planetas dos macacos. Fraco.